27 de mai de 2008

Luluzinha, Bolinha e o ENEM

Luluzinha e Bolinha são personagens de Marge criados em 1935, e saíram dos quadrinhos para desenhos animados. Grandes amigos, ela é uma menina muito esperta; ele, um menino bobinho, metido a esperto.

Dizem – e não me atrevo a negar – que meninas amadurecem antes dos meninos. Parece que a idéia básica do atual comercial do ENEM / PDE é esta, e não a educação e orientação dos jovens para a vida acadêmica e profissional.

Para quem ainda não o viu, no filme um casal de estudantes conversa, na praia, olhando para o mar; ela diz que olhar para o mar a faz pensar em fazer Biologia, justificando seus motivos; ele olha para um grupo de mulheres de shortinho jogando vôlei, diz que o mar o faz pensar na Educação Física. Ela, surpresa, pensa que ele está brincando; ele diz que fala sério, mas fica rindo.

Como o filme é destinado ao público jovem, acho até divertido. Por outro lado...

O que está implícito, a meu ver, são os estereótipos de Luluzinha e Bolinha: As estudantes, representadas pela garota, são espertas, levam seus estudos a sério e seguirão suas vocações profissionais; rapazes, como o da propaganda, são uns tolos, idiotas, a ponto de reduzir suas escolhas profissionais à possibilidade de estarem próximos a “gatas saradas”, na praia, todos os dias, o dia todo. Um raciocínio bastante infantil. Algo como querer ter uma fábrica de sorvetes ou ser ginecologista somente por gostar muito dos respectivos “produtos”.

Ainda que não tenha sido esta a intenção dos autores do comercial, assim o percebi. Quero crer, no entanto, que a visão de futuro dos nossos jovens (do ponto de vista deles próprios, claro) não esteja tão obtusa assim.