27 de jun de 2009

Liberdade de informação, segundo Luis Ignácio

Desde pequeno ouço que a liberdade deve andar ao lado da responsabilidade. Agora, vem o presidente Luis Ignácio dizer que "o país nunca viveu um ambiente de liberdade de informação tão grande" e que "com o acesso cada vez maior à Internet, a imprensa tradicional está perdendo poder para os novos meios."
Hummm... isso me parece revanchismo; por que será? Prefiro não comentar para não baixar o nível da conversa. Prefiro sempre o nivelamento das coisas por cima, e não por baixo, como me parece, o governo está empenhado em fazer.

"Finalmente este país está tendo o gosto da liberdade de informação", disse ele em discurso no 10o Fórum Internacional Software Livre em Porto Alegre (RS). O que entende ele de informática e de Internet para tecer comentários à respeito? Será que aprendeu a falar sobre coisas que não entende com seus ministros, ou foram seus ministros que aprenderam com ele? Deixa pra lá..

"... a imprensa já não tem o poder que tinha há alguns anos. A informação já não é mais uma coisa seletiva em que os detentores da informação podiam dar golpe de Estado". Ainda não me convenci da real intenção dele; aliás, creio que a intenção dele e de seu governo é desacreditar a imprensa legítima, aquela que "futuca" - e encontra, por que existem - os podres de de seus coleguinhas de Brasília, que ele tanto defende, seja por ingenuidade, seja por "outro motivo".

Se para Lula qualquer blogueiro já pode hoje ser considerado jornalista, exercendo a sua tal "liberdade de informação", nenhuma informação será suficientemente confiável daqui para frente. Se hoje, com a "isenção" da imprensa tradicional a população já não sabe em quem acreditar, baixando o nível das informações* a confusão irá aumentar e o desinteresse pela política, diminuir. Sem a participação popular no processo político, ainda que distorcida e/ou influenciada, o governo ficará muito mais à vontade para "governar".

Tenho a sensação de estar presenciando a "ignorantização" moral e educacional do Brasil. É lamentável e inaceitável. Mas o que podemos fazer? Somos cento e oitenta e poucos milhões de cidadãos...

(*) Basta observar a utilidade da nova reforma ortográfica e o baixo nível de qualidade da maioria dos textos e de conteúdos que imperam hoje no jornalismo regulamentado.

Fonte: Reuters/G1

P.S.1: O nome do presidente foi grafado com base no seu próprio conceito de liberdade de informação, mas eu, pelo menos, assumo a minha responsabilidade sobre isso.
P.S.2: Se rolar uma vaguinha em Brasília para um blogueiro (que não pretende ser jornalista), para só falar bem do seu governo, eu aceito, presidente...

22 de jun de 2009

O fim da prisão especial no País

Mais uma "deles".

Até então concedido a pessoas com curso superior e autoridades, o benefício da prisão especial será concedido somente no caso do preso correr risco de morte, precisando ficar em cela separada de outros detentos.

NATURALMENTE, juízes, integrantes do Ministério Público da União e o presidente da república continuarão usufruindo desse direito...

A Lei não deveria ser igual para todos?

Ô raça, hein?! Depois querem respeito e credibilidade das "pessoas comuns"!

1 de jun de 2009

Caro Carioca, seja um turista em sua cidade (pagando bem menos!)

"O Projeto Carioquinha 2009 começa hoje. A ação é voltada para nascidos e moradores do Rio ou Grande Rio e reunirá mais de 100 atrações, entre pontos e serviços turísticos, hotéis e restaurantes. Com patrocínio da Secretaria Especial de Turismo/Riotur, o objetivo do programa é democratizar o acesso da população ao roteiro turístico do Rio e Grande Rio."

Saiba como usufruir e veja as atraçoes que fazem parte desta promoção, respectivamente, em
http://www.rio.rj.gov.br/
http://doweb.rio.rj.gov.br/sdcgi-bin/om_isapi.dll?infobase=01062009.nfo&jump=33.23&softpage=_recs#JUMPDEST_33.23

Fonte: Prefeitura do Rio de Janeiro / Secretaria Especial de Turismo