30 de ago de 2012

Uma Playlist bem especial

A cara da MPB mudou muito, de uns anos pra cá. E eu não gosto da cara nova dela. Entendo por MPB aquela música brasileira que toca nas rádios, nas novelas, e nos programas de auditório... que está na boca do povo, enfim. Para mim, isso é popular.
À medida que precisava atender minhas necessidades auditivas (não confundir com elitismo), fui deixando de ouvir rádio, ao mesmo tempo em que comecei a selecionar várias músicas de que gosto em mp3, inclusive as de MPB, mas em sua imensa maioria aquelas da "cara antiga", que tem estilo e conteúdo agradáveis aos meus ouvidos. A vantagem é que quase sempre só ouço o que gosto, e a desvantagem é que vez ou outra surge um talento nacional do qual não tomo conhecimento a não ser em programas que passam na madrugada, ou em sites especializados.

Aí recebo a sugestão de ouvir a playlist (clique e ouça no "Zuim") do "Sobre a Canção", excelente sítio-blog de Tulio Villaça, que me despertou a lembrança de um tempo não tão distante em que haviam festivais de música - MPB - que, mesmo tendo vencedores questionáveis, premiavam o público com muitas canções bem elaboradas e executadas. Bons autores e intérpretes surgiram nestas ocasiões, ou "na carona" delas. E a gente ouvia suas músicas nas rádios e na TV. Mas a geração contestadora que consumia e produzia música na ocasião era fruto de uma geração anterior, questionadora. A geração atual, ao contrário, é apenas consumidora, muito passiva frente a tudo que a rodeia, inclusive a música que, capitaneada por um empresariado sem compromissos com conteúdo, aproveita-se desta passividade para empurrar seus produtos valendo-se apenas da estética (ou moda) dominante atualmente.
E desta estética, eu também não gosto, embora compreenda e tente respeitar.

Desse modo, esta playlist me apresentou alguns nomes e/ou músicas que eu desconhecia, ou que apenas conhecia de nome; algumas surpresas boas, como Grande Poder com Deá Trancoso e Cor de Sol com Delia Fischer; e algumas gratas recordações de canções que perdi no tempo, como a bela Beira Mar, do valoroso Zé Ramalho e Que Bom, Amigo, com o grande Milton Nascimento.

Uns talentosos já deixaram este mundo, alguns continuam por aí, e outros novos continuam surgindo, mesmo com o mínimo espaço na mídia atualmente dedicado a eles. É preciso alguma boa vontade para procurá-los e poder desfrutar de suas obras.
Felizmente, ainda há quem nos dê dicas e aponte estes "caminhos", e faça a gente cotinuar crendo num amanhã, ao menos musical, melhor.

Que bom, amigo!

21 de ago de 2012

A zaga do Botafogo: boicote, displicência ou ruindade mesmo?

"Após mais uma derrota do Botafogo no Campeonato Brasileiro a zaga do Glorioso voltou a receber críticas."
(sidneyrezende.com)

Não é de hoje que a zaga do botafogo falha, principalmente, no final das partidas, quando cede empate ou vitória aos adversários. Seria cômodo e, talvez, injusto dizer que os jogadores estão mais atentos com seus cortes de cabelo exóticos ou com suas chuteiras coloridas... Mas o que mais poderia estar ocorrendo, fora isso? Falta de empenho? Boicote aos treinadores?
Boicote não creio, já que mudam os técnicos, e a zaga permanece igual.
Também não creio seja falta de empenho.
A meu ver, o problema é "somente" a limitação técnica destes jogadores, mesmo... Eles são daquele tipo em que, numa "pelada", seriam os últimos a serem escolhidos para os times, conseguindo as vagas apenas por falta de opções.
Não adianta ter o Seedorf - um bom organizador de jogadas - sem ter atacantes que as aproveitem, e não adianta ter ambos, se a zaga é muito fraca. A continuar assim, o máximo que este time conseguirá é ser um mero participante das competições; títulos, são impensáveis.

16 de ago de 2012

Pacote de concessão de estradas e ferrovias: é privatização?

"Dilma Rousseff anuncia pacote de concessão de estradas e ferrovias"
"Pacote prevê que a iniciativa privada administre, em regime de concessão, 7,5 mil quilômetros de rodovias, e 10 mil quilômetros de ferrovias."
Fonte: G1

Uns dizem que isso foi feito agora para abafar o julgamento do mensalão; outros, que não se trata de privatização - "Privatizar significa o Estado vender. O que se fala aqui é de fazer parceria. O Estado tem controle." (Jilmar Tatto).

As diferenças políticas vêm sendo cada vez mais usadas para atacar ou defender personalidades e partidos; as diferenças ideológicas, aquelas que poderiam tornar a nação realmente forte mesmo com as divergências, foram para o ralo há muito tempo. A população e os interesses do país, estados e cidades não interessam para a imensa maioria de nossos governantes e parlamentares. Então toda idéia que parta do governo, seja lá qual ele for, é rejeitada pela oposição, seja lá qual ela for, e vista com desconfiança pelo povo/eleitor.


sxc.hu/photo/1322016

Não sou petista nem 'dilmista', muito menos 'fhcista', mas alguma coisa precisava ser feita, e começou a ser feita, com bastante atraso. Nunca entendi direito o fato de nossa malha ferroviária ser relegada ao abandono, depois de tantos investimentos realizados em um passado não tão distante, mas sempre entendi que o mau uso ou o desvio das verbas públicas (de todos nós), aliados à gestores despreparados ou inescrupulosos (colocados em seus cargos direta ou indiretamente por nós), "detonaram" não apenas as rodovias estatais, mas principalmente os orgãos que deveriam bem cuidar delas.

A posição mais cômoda para o ser humano é a de falar mal daqueles que se propõem a fazer alguma coisa, isso quando não se empenham em atrapalhar; mas atrapalhar dá muito mais trabalho do que construir, ou mesmo ajudar a construir.

Este é o plano que, por ora, TEMOS. Se ninguém apresentou idéia melhor antes, se ele não é prejudicial para ninguém, se a proposta visa melhorar a logística e o escoamento de produtos e o deslocamento de pessoas, se possibilita gerar novos postos de trabalho, e se o Estado tomará conta, qual é o problema? Ah, vai possibilitar também mais corrupção... Provavelmente... mas esta não é uma questão política/partidária/econômica, é uma questão social. E questões sociais se resolvem, antes de tudo, com informação e educação, com o comprometimento de cada indivíduo não apenas consigo, mas também com o mundo ao seu redor. Isto, sim,  fará a diferença entre este ou qualquer outro plano dar certo ou não, ou mesmo se será concluído algum dia.

12 de ago de 2012

Olimpiadas Rio 2016: "...que o Brasil fique entre os 10 mais vitoriosos nos Jogos."

"A expectativa para Rio-2016 é de que pelo menos 10 modalidades tragam medalhas e que o Brasil fique entre os 10 mais vitoriosos nos Jogos."

Fonte: Y! Esportes


Que legal!... Mas...

Existe algum plano para isso?
Ou a que santo o COB pretende pedir este milagre?



Em tempo: A ausência do acento grave no título desta postagem não foi acidental.

11 de ago de 2012

México: jogou como nunca... mas desta vez ganhou.

Na decisão do ouro olímpico em londres, o México resolveu contrariar o dito popular "Jogou como nunca, perdeu como sempre".

O lateral brasileiro Rafael, literalmente, entregou o ouro aos 28s. Não podia mesmo dar boa coisa...

Economizei boa parte de meu tempo assistindo apenas ao começo e aos minutos finais do jogo. É muito irritante ver o mau hábito dos jogadores brasileiros reclamando de faltas em vez de disputar para valer as jogadas, ver a sucessão de passes errados de caras que ganham fortunas para fazer o que sabem de melhor, mas que não o fazem quando o momento é decisivo, ver o tal "toquinho" a mais na grande área adversária que permite a defesa do adversário... enfim, ver a displicência e a falta de empenho quando estes caras, se me permitem o termo, vestem a camisa amarelinha. Claro que, não podemos esquecer o comando - ou melhor,  a falta dele - dentro e fora de campo, e que não é de hoje.

Todos eles têm personalidade, são os melhores na bola em seus clubes e no marketing, mas na hora de mostrar que são tão bons ou melhores do que Pelé, Garrincha, Romário, e tantos outros...

Parabéns aos jogadores do México, que se empenharam muito e fizeram por merecer ouro.

2 de ago de 2012

O que é Ilícito?

Ilícito: buraco onde alguns animais racionais entram de cabeça, e de onde não saem mais por seus rabos ficarem presos uns aos dos outros.
 E.Wilson

1 de ago de 2012

O povo não tem Educação?! A culpa é da Rita! E da Nazaré Tedesco, da Odete Roitman, das Empreguetes, do Esquenta...

O povo não tem Educação?! A culpa é da Rita! E da Nazaré Tedesco, da Odete Roitman, das Empreguetes, do Esquenta, do Caldeirão, do Domingão, da Malhação, do BBB, de A Fazenda, do Hoje em Dia, de O Melhor do Brasil, do Muito +, do TV Fama, do Brasil Urgente, do Cante se Puder, do Casos de Família, da Eliana, do Programa do Ratinho, do Sexo a 3, além de outras porcarias cujos autores/diretores/produtores/patrocinadores/donos de emissoras/anunciantes entendem que um entretenimento não deve ter qualquer responsabilidade com a educação e com o comportamento das massas. (se você não concorda com o que eu escrevi, pode até não saber, mas faz parte dessa massa que aceita goela abaixo este lixo que te empurram, e por isso você é também responsável pela falta de educação e de instrução de nosso povo).

O Governo, claro, também é culpado quando ao longo do tempo concedeu canais de TV aos empresários e, à exceção do horário eleitoral gratuito e das falas de ministros e presidentes em rede nacional, não determinou nem determina regras de conduta que sirvam como aliadas para reimplantar e fortalecer a ética e a instrução do povo; mas, como os políticos tiram proveito disso, não há interesse em fazê-lo.

Antídoto? Sim, existe. Cada indivíduo deve aprender a escolher melhor o que assiste na TV (e agora também na Internet), e de boa vontade prestar atenção em programas que tenham algum conteúdo positivo, programas que acrescentem algo à sua vida pessoal, afetiva, profissional. Mesmo nas emissoras de alguns dos programas que citei há bons programas - a maioria, lamentavelmente no horário "pobre"; mas, assim como na política, não somos obrigados a escolher aqueles que aparecem mais, já que há outras opções, seja na TV aberta, seja na paga. Você já assistiu algum programa da TV Brasil, ou do canal Futura? Pois é...