29 de set de 2011

Meu lado ruim

Tenho um lado ruim que, obviamente, não gosto; do contrário, não o acharia ruim.

Este lado ruim me permite ser vingativo, rancoroso e algumas vezes, até desejar o mal - um malzinho, na verdade -, para alguém. Creio que isso faça de mim um legítimo ser humano. Ou um espírito encarnado merecidamente num planeta de provas e expiações, conforme aprendi no Espiritismo.

Refleti isso nesta tarde, quando mais uma vez fui desrespeitado por um motorista (este, de caminhão) que ignorou e avançou o sinal vermelho, impedindo-me de atravessar a rua como seria meu direito. Na hora, pensei: tomara que esse "mané" se 'ferre'! Uma praguinha rogada, de leve.

Mas como o meu lado bom já se sobrepõe ao lado ruim, em questão de segundos pensei:
"Mas ele já está 'ferrado'! Eu não preciso desejar isto a ele. Uma pessoa que voluntariamente não respeita as outras, que só leva em consideração as suas próprias necessidades e satisfações, ignorando as dos demais - sejam eles quem forem - já está ferrada:
Ela está cega, surda e louca.
"

Essa pessoa vive fechada em seu mundinho particular, e em nome da pressa, do ter e do poder, fere outros seres, e fica exposta a todas as pragas e maldições possíveis. Essa pessoa não é e nem será um pouquinho feliz agindo dessa forma. Ela age contra a Lei de Amor, contra o movimento do universo; e, para continuar assim, faz um esforço muito maior do que faria se permitisse o fluxo do amor, da gentileza, do bem. Deve estar muito cansada, a infeliz, e não consegue perceber que a solução para aliviar a sua carga de problemas é exatamente a atitude contrária.

Se o meu lado ruim tem algo de positivo, é fazer com que eu não esqueça que o meu lado bom está muito melhor do que ele.
Está
: por isso convém não descuidar...


“Portanto, não andeis ansiosos pelo dia de amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal.”
Mateus 6:34

26 de set de 2011

Parabéns, você ganhou! (mesmo sem ter me inscrito?!)

Recebi msg no celular - na verdade, 10 msgs iguais e seguidas -, dizendo...

"PROMOCAO SBT JEQUITI: SEU CELULAR FOI SORTEADO COM UM VALOR DE 50.000 E UM KIT JEQUITI. ENTRE EM CONTATO COM A NOSSA CENTRAL. Gratis do fixo (015858150...)
De: 0117558...
Hora: ...
Data: ..."

...

Perguntas a se fazer:
Como é possível alguém ganhar alguma coisa (50.000!) para a qual não se inscreveu e, portanto, não deu seu telefone?
Por que os sites do SBT e da Jequiti não mencionam a promoção com o tal prêmio/sorteio?
Por que pedem para entrar em contato informando que que através do fixo é GRATIS?

Resposta: provavelmente alguém que não tem nada a ver com SBT ou Jequiti (poderia ser o nome de qualquer outra empresa) quer apenas seu número de telefone fixo para  extorqui-lo de alguma forma, sendo o falso sequestro a extorsão mais presumível. Mas isso é provavelmente... Vai que eu tenha mesmo sido contemplado, né?
Eu prefiro não arriscar...

Com a palavra, as empresas envolvidas!

22 de set de 2011

E atenção! Notícias do Brasil:

Notícias do Brasil:

1) Secretário de Transportes escapa ileso de acidente com bonde.

2) Em 7 horas, Governador percorre 88 km em carro blindado e passa por 5 hóteis cinco estrelas até conseguir se hospedar.

20 de set de 2011

Educação infantil, segundo Irmão X

"...o amor, para educar, não prescinde da energia, e a ternura, por mais valiosa, não pode dispensar o esclarecimento."

"...as escolas públicas ou particulares instruem a inteligência, mas não se podem responsabilizar pela edificação do sentimento. Em cada cidade do mundo pode haver um Pestalozzi que coopere na formação do caráter infantil, mas ninguém pode substituir os pais na esfera educativa do coração."


Resposta do Além
Irmão X, in Luz no Lar (FCX)

Mais uma marcha contra a corrupção. A dos outros, é claro.

Hoje, no Rio, tem um evento popular contra a corrupção. Hoje, mas a luta é diária. Resta saber de quem.

A corrupção é uma grave doença social, que mata aos poucos a nação.
Como qualquer doença grave, o tratamento para a cura ou controle depende, primeiramente, da compreensão do indivíduo de sua doença e da necessidade do tratamento, e depois, de sua vontade em reestabelecer a saúde.
No caso, o doente é o Brasil. Mas da mesma forma que um diabético ou uma pessoa com câncer pode fazer, ele, o Brasil, prefere fechar os olhos para a necessidade do tratamento, do acompanhamento, do controle, o que faria com que vivesse melhor.
Se, por um lado, ele enxerga o que é saudável, por outro ele insiste em manter os velhos vícios que o mantém na doença.
O Brasil está sendo consumido pela corrupção, mas as células desse corpo - os brasileiros - estão muito divididas para que se vislumbre a possibilidade de cura:

Ao não se reconhecerem parte do todo, algumas células desqualificam a própria contaminação e, portanto, a sua responsabilidade na busca pela cura; algumas destas apenas aguardam uma oportunidade para se juntar às células totalmente enfermas, aquelas que não se importam com as outras células, apenas consigo próprias;

Outras células já se reconhecem como sendo o corpo - o Brasil, e buscam manter sua integridade para não serem afetadas pelas demais células contaminadas;

Existem outras células que apenas esperam um milagre; não acham que qualquer coisa que façam venha a fazer diferença;

E, claro, há aquelas células doentes, que não se importam com os males que causam ao seu redor; elas entendem que a normalidade é a patologia - a corrupção.


Cada integrante desse organismo é o responsável pelo seu bem estar, e se a maioria quiser, ele vai se tornar e permanecer a maior parte do tempo saudável.
O problema brasileiro é que, embora a corrupção esteja instalada no poder, e ela não deva ficar lá, a única forma de extirpá-la é extirpá-la de nós mesmos. Somos nós que admitimos as pequenas corrupções, ativas e passivas, e ela nada mais é do que uma ramificação da doença; se o poder público está cheio de corruptos, direta ou indiretamente nós mesmos permitimos que eles lá estejam, mas à maneira de um medicamento que, ingerido pela boca e que chega ao nosso cérebro para sanar uma dor de cabeça, podemos retirá-los. Mas isso, se nos reconhecermos parte dessa ramificação, parte do todo, reconhecer a doença que permitimos; e, obviamente, desejar o tratamento e a cura.

Ou então, continuemos convivendo com ela, a corrupção, se alastrando e destruindo o Brasil. Nos destruindo.

...

Ou então, mude-se o nome das campanhas para "Marcha contra a corrupção, mas só a do poder público".
Os demais ficariam dispensados da cobrança, e com suas consciências tranquilas...