10 de dez de 2013

A violência das torcidas de futebol e a responsabilidade dos dirigentes dos clubes

Segundo o tenente-coronel João Fiorentini, comandante do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe) do Rio de janeiro, em entrevista à CBN-RJ (link no rodapé):
  • Há torcidas (organizadas) que nunca se envolvem em episódios de violência;
  • Há torcidas (organizadas) que sempre se envolvem nestes episódios;
  • Nestas últimas, há indivíduos que não se envolvem em brigas;
  • Os dirigentes de clubes apoiam TODAS as organizadas, sem distinção, e transferem a responsabilidade pela segurança unicamente à PM;
  • O dirigentes de clubes não deveriam fornecer incentivos àquelas torcidas envolvidas em episódios de violência, colaborando assim não apenas com a PM, como também com a própria segurança dos demais torcedores; os clubes se põem de fora do problema que eles mesmos ajudam a provocar;
Todos os grandes clubes do país têm organizadas conhecidas pela violência. Os vascaínos envolvidos na briga do último domingo tiveram, por exemplo, ingressos subsidiados pelo clube (dos R$ 100,00 estes torcedores pagaram apenas R$ 25,00) além de ajuda no transporte da torcida. Todos os clubes provavelmente fazem o mesmo com suas torcidas.

Os brigões identificados, responsabilizados e punidos teriam de comparecer à delegacia nos horários dos jogos de seus clubes, mas há dúvidas se este controle é realizado. O que a PM faz é um controle visual para que estes indivíduos não adentrem no estádio, durante a punição.

Uma das organizadas citadas na entrevista tem sessenta mil sócios no Brasil (nem todos são brigões); é um negócio lucrativo, com a venda de camisas, bonés, agasalhos e outros itens. Quando sofrem punição mais severa e não podem entrar nos estádios, têm também prejuízo financeiro. Isso ajuda, um pouco, a conter a violência.

O que cabe perguntar é: Se aos dirigentes de clubes interessa apenas o número de torcedores nos estádios e o lucro; se aos dirigentes de torcidas organizadas, o lucro; e aos torcedores das organizadas ir aos estádios pelo menor preço possível (e aos brigões que delas participem, além disso, ter a oportunidade de trocar uns sopapos com quem quer que seja), quem é que "levantaria a bandeira" contra os tais incentivos dos clubes às torcidas organizadas?

Ótima entrevista com o comandante Fiorentini, com duração de 15 minutinhos: cbn.globoradio.globo.com

9 de dez de 2013

Futebol, paixão, bullying, barbárie

Costumo dizer que a Terra não é redonda por acaso: a gente sempre se encontra lá na frente...

No final de 2012, a torcida alvinegra foi bastante tripudiada porque o Botafogo foi o único time carioca a ficar de fora da Copa Libertadores de 2013. 
Nenhum dos adversários cariocas, no entanto, sequer disputou a finalíssima da "Liberta", foram lá apenas para fazer figuração; ou seja, não tinham time para competir de verdade (como o Botafogo de hoje, que mesmo que se classifique na próxima quarta-feira - depende do resultado do jogo Ponte preta X Lanuz (ARG) - também não tem).
 
Muitos levam a paixão pelo time que torcem tão a sério que, no afã dos insucessos do time adversário, perdem a linha e, sem pensar, ofendem ou magoam os próprios familiares e amigos que torcem - alguns tão apaixonadamente como eles - para estes times adversários. (aqui faço um possível mea-culpa, já que posso ter feito isso no passado, sem perceber; mas um dia a gente tem que amadurecer, né?)
Isso quando não se envolvem em conflitos bem mais sérios fora ou dentro dos estádios, como o que ocorreu ontem no jogo Atlético-PR X Vasco.

A queda de Fluminense e Vasco para a "segundona" é um "prato cheio" para os torcedores adversários, mas em respeito aos meus amigos e familiares tricolores e vascaínos, eu, particularmente, abstenho-me: os próprios dirigentes destes times já zoaram o suficiente as suas respectivas torcidas.

14 de nov de 2013

O Brasil está muito doente.

O Brasil, felizmente, não sofre muito (ou nada) com as grandes catástrofes naturais, como furacões, tufões, tsunamis ou terremotos, que arrasam alguns outros países devastando uma enorme parte da população de uma só vez.
No entanto, o Brasil sofre de uma doença de longo curso, que também mata uma enorme parte da população, só que aos poucos e, também por isso, não é assumida e tratada com o cuidado necessário. Silenciosa e lentamente, ela consome a energia, a saúde e os recursos financeiros de cada habitante do país, e se espalha causando sofrimento e dor direta ou indireta em todos os indivíduos da nação, e, sendo doença de longo prazo e contagiosa, seus sintomas acometerão em algum momento mesmo aqueles que se acreditam imunes à ela.
A cura coletiva é possível, mas o tratamento é individual e realizado com total comprometimento dos enfermos, e só ocorre a partir do reconhecimento da doença bem como sua aceitação por parte do indivíduo doente, mas, se por um lado a cura é possível, por outro a gravidade desta moléstia aumenta muito quando ela vem acompanhada de um outro mal que (ainda não se sabe bem) tanto pode ter sido gerado por ela, quanto pode ela mesma o ter gerado. O ideal, então, é que tanto uma quanto a outra doença - a corrupção e a impunidade - sejam combatidas o quanto antes e por cada um, pelo bem deste nosso querido, mas enfermo, Brasil.

1 de nov de 2013

A execução da lei e a impunidade

O maior problema do Brasil não está nas leis, nem na aplicação destas. Está, exatamente, na sua execução. Sujeitar-se às punições devidas torna-se, cada vez mais, uma coisa opcional, seja por fuga do infrator, seja por manobras judiciais infinitas que retardam o cumprimento das penas pelo indivíduo.
Isso influencia e estimula outros indivíduos a cometerem mais e mais delitos de toda ordem, e fortalece a idéia de uma sociedade anárquica.
Daí esta sensação de impunidade no País não ser apenas uma sensação, mas um fato.
Reversível? Só o tempo poderá responder.

Abelhas na política brasileira!

Uma abelha é usada como símbolo de um partido político no Brasil... Será um sinal de que seus filiados ficam fazendo cera?

31 de out de 2013

De falta d'agua, de falta de bonde de Santa Teresa, de falta de Saúde etc.

Sou do tempo em que secretários de governo ou presidentes de estatais que não resolvessem problemas básicos de transportes, abastecimento ou educação eram substituídos por outros. Naquela época as trocas representavam, para a população, alguma esperança de solução.

Então, se a esperança é a última que morre...

4 de out de 2013

Microconsiderações sobre a greve dos professores no Rio

1) A Educação pública, de fato e em geral, está precária não somente no estado, como em todo o país. Professores do nível fundamental e médio, assim como os demais funcionários, ganham mal e não dispõem de boas condições de trabalho.

2) Sindicatos, em geral, servem apenas como trampolim para as aspirações políticas e/ou como oportunidade de exploração econômica dos sindicalizados, por parte de seus dirigentes. Deixam de promover negociações regulares entre as categorias e seus patrões (públicos ou privados), não fiscalizam as condições de trabalho destas categorias que representam e, somente quando pressionados pelos seus representados, resolvem promover "estardalhosas" greves, colocando a sociedade contra os patrões, quaisquer que sejam eles.

3) Patrões, quaisquer sejam eles, quase nunca oferecem nada que se não lhes peça. Partem do princípio que todos estão satisfeitos com seus salários e condições de trabalho. A diferença entre os do setor público e os do privado é que estes últimos tem compromisso com o lucro próprio por tempo indeterminado, e por isso, conforme o caso, podem se antecipar e oferecer algo não solicitado pelos empregados, enquanto os do setor público já tem seu lucro garantido, mesmo que por pouco tempo, e - fora aqueles que realmente cuidam da imagem política - não assumem qualquer compromisso com seus funcionários, muito menos com a sociedade.

3 de out de 2013

Uma ponte entre o Amapá e a França

"Ponte que custou R$ 70 milhões continua fechada após 2 anos e meio"

"A segunda parte da obra é que não foi concluída: toda a definição de como vai funcionar o tráfego de pessoas, carros e mercadorias."

Fonte: Jornal Hoje

Dois anos e meio - fora o tempo de planejamento, projeto e execução da obra - não foram suficientes para as autoridades saberem o que fazer com a ponte? Isso pode ter duas explicações, e uma delas é incompetência de todos os envolvidos. A outra, você já deve saber.

Políticos com carta-branca (ou cheque em branco) dos eleitores

Alguns políticos eleitos neste país acham que os votos que recebem são cartas-brancas - ou, pior, cheques em branco - dados por seus eleitores, quando na verdade estes votos são apenas uma "procuração" SEM plenos poderes.

Lamentavelmente, estes senhores não somente perderam o respeito pelo povo, como, também, o medo.

2 de out de 2013

A Grande Batalha da Educação no Rio

Fora a discussão sobre a tentativa de prefeite, châmara, alerjada e governadura instaurarem uma nova ditadura (estão trabalhando fortemente neste sentido), desafiando o poder e a vontade da população, existem fatos nesta questão do PCCR da Educação carioca que a imprensa não dá muito espaço, seja lá qual for o motivo. A briga, em si, dá bem mais audiência que este fatos, que vão além do que é dito pelas partes. Toda esta batalha, talvez, poderia ser evitada com alguma transparência (de documentos) para a sociedade, o que também evitaria esta historia de um ficar tentando colocar a população contra o outro.

A quem interessar possa, principalmente aos professores, seguem versões documentadas das partes. Independentemente destas versões, todos estamos vendo e sentindo os efeitos de como anda a Educação pública não só no Rio, mas no país inteiro nas últimas décadas.

O tal Plano da Prefeitura aprovado pela câmara e sancionado pelo prefeite - http://www.rio.rj.gov.br/dlstatic/10112/126674/4108733/EducacaoRio_vf.pdf

Aqui, detalhado com perguntas e respostas - http://www.rio.rj.gov.br/web/guest/exibeconteudo?id=4380897

Um comunicado oficial da prefeitura, incluindo as emendas dos vereadores - http://www.rio.rj.gov.br/documents/2610797/4380477/Comunicado_Oficial_da_Prefeitura_do_Rio_sobre_o_PCCR.pdf?version=1.0

Aqui, o que diz o SEPE - http://www.seperj.org.br/admin/fotos/boletim/boletim328.pdf

As reivindicações originais dos professores da rede municipal de ensino - http://www.seperj.org.br/ver_noticia.php?cod_noticia=4332

20 de set de 2013

Alunos evangélicos do ensino médio se recusam a fazer trabalho sobre cultura afro-brasileira.

"Alunos evangélicos do ensino médio se recusam a fazer trabalho sobre cultura afro-brasileira."

Fonte: acritica.uol.com.br

A falta de estudo leva, facilmente, à esta confusão entre cultura e religião. E o pior é que este tipo de (falta de) pensamento vai sendo transmitido adiante, sem que os indivíduos reflitam. Estes alunos que chegaram ao ensino médio já com esta visão deturpada, terão problemas mais sérios ao ingressar na faculdade, onde uma recusa deste tipo não seria aceita.
Desconhecem - ou preferem desconhecer - a própria bíblia, onde o apóstolo Paulo de Tarso diz: "EXAMINAI TUDO. RETENDE O BEM" (1 Tessalonicenses 5: 21).

Há alguns anos fui à duas belíssimas exposições, uma sobre a África e outra sobre o Islã, e APRENDI que a arte destas culturas tem uma forte influência da religião. Posteriormente, estudei um pouquinho mais para entende-las e respeitá-las, mesmo não adotando nenhuma delas para minha vida.
Na faculdade, fiz um trabalho de "antropologia cultural" sobre brigas de galo. Ou melhor, sobre um antropólogo que se instalou num país exótico para estudá-lo, e o alvo de seus estudo era a cultura local, baseada em brigas de galo. Então eu tive de falar sobre brigas de galo! Um assunto bem desagradável para mim. Mas como eu poderia falar sobre isso sem procurar entender?
Como entender algo (uma cultura, uma religião) ou alguém se a gente nem mesmo de disponibilizar para isso?

Até mesmo para combater é preciso conhecer aquele ou aquilo que se combate!

19 de set de 2013

A pressão da opinião pública e a vontade do povo


“Me coloco na contracorrente do oba oba institucional* que estamos vivendo.”

(Aloysio Nunes Ferreira (SP), líder do PSDB no Senado, contrário ao fim do voto secreto para todas as deliberações nas Casas Legislativas do país.)

(*) Pressão da opinião pública pelo voto aberto total.

Se a opinião pública é uma representação do pensamento e/ou da vontade popular, então é uma vontade do povo.
Para que este senhor foi eleito, senão servir à nação, que é o mesmo que servir ao povo que nela vive?

O "nobre" senador, parece, esqueceu que não é pago para legislar em causa própria e nem apenas para seus eleitores, mas sim para legislar em favor de todos os brasileiros. Um dos colegas do citado senador, Roberto Requião (PMDB-PR), discorda completamente dele com relação à questão do voto aberto e ao clamor popular, dizendo que este "é um grito das ruas".

Para quem não sabe do que estou falando, a PEC (proposta de emenda à Constituição) que extingue o voto secreto em todas as deliberações do Poder Legislativo, inclusive em casos de escolha de autoridades e exame de vetos, foi aprovada pela CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) em 18/09/2013, e segue agora para deliberação no plenário do Senado, em dois turnos de votações.

Fontes: R7 Notícias e Valor Econômico

18 de set de 2013

E se o Rock in Rio fosse em 1975?

O Rock in Rio 1975 se aproxima, e a imprensa já especula sobre prováveis atrações musicais para o festival. Algumas são novidades, outros são artistas já consagrados no panorama nacional e internacional.



NACIONAIS

Antonio Carlos & Jocafi
Azimuth
Belchior
Benito Di Paula
Beth Carvalho
Beto Guedes
Caetano Veloso
Casa das Máquinas
Celly Campelo
Chico Buarque
Clara Nunes
Claudia Barroso
Elis Regina
Erasmo Carlos
Fafá de Belém
Gal Costa
Genival Lacerda
Golden Boys
Hyldon
Ivan Lins
Jair Rodrigues
Jorge Ben
Luiz Melodia
Made in Brazil
Maria Alcina
Maria Bethânia
Martinho da Vila
Milton Nascimento
O Peso
O Terço
Odair José
Os Mutantes
Paulinho da Viola
Raul Seixas
Rita Lee & Tutti-Frutti
Roberto Carlos
Sá & Guarabyra
Secos & Molhados (Há rumores que a banda esteja se desfazendo!)
Silvio Brito
Simone
Vanusa
Vímana
Wando
Zé Rodrix



INTERNACIONAIS
ABBA
AC/DC
Aerosmith
Barbara Mason (Yes, I'm Ready) http://youtu.be/y70rva97auM 
Barry Manilow
Barry White
Billy Paul
Black Sabbath
Blue Magic (Sideshow)
Captain & Tennille (Do that to me one more time) http://youtu.be/ry4ngf766N0 
Carpenters
Cat Stevens
Charles Aznavour
Chrystian (No Broken Heart)
Commodores
David Bowie
Deep Purple
Diana Ross & Marvin Gaye
Frankie Valli
Genesis
George McCrae (Rock Your Baby) http://youtu.be/arxhW1RgDDo 
Gloria Gaynor
Hollies
Jackson 5
Jean Michel Jarre
Joe Cocker
KC & The Sunshine Band
Kiss
Kool & The Gang, Tower Of Power (So Very Hard To Go) http://youtu.be/APlwRR9IO_E 
Kraftwerk
Led Zeppelin
Left Side (Mamma Mia (Everytime I See Ye) http://youtu.be/wus_9KDkXUA 
Love Unlimited Orchestra
Mark Davis
Morris Albert
Neil Sedaka (Laughter in the rain) http://youtu.be/Uec35ppYLIc New York Dolls
(Patti) LaBelle (Lady Marmalade) http://youtu.be/t4LWIP7SAjY 
Paul Denver
Paul McCartney & Wings
Pink Floyd
Queen
Rolling Stones
Stevie Wonder
Stylistics
The Dictators

The Elton John Band
Van McCoy (the hustle) http://youtu.be/wj23_nDFSfE 
Wess & Dori Ghezzi (Tu Nella Mia Vita; Noi Due Per Sempre)
Yes

Além de atrações musicais,
no festival o público poderá se divertir em um parque com tobogã, carrossel, teleférico, balão pula-pula, trem fantasma, roda gigante e montanha russa.

4 de set de 2013

Brasileirão político

Placar da Câmara nos últimos jogos decisivos:

28/08/2013:
Combinado Sem-Vergonhice/Casos Omissos  280  X  233  Vergonha na Cara

(O Casos Omissos tinha 4 jogadores vetados pelo departamento médico, 50 no banco (digo, em cima do muro) e outros 50 "se esqueceram" do horário do jogo)


03/09/2013:
Combinado Vergonha na Cara/Sem Opção  452  X  61  Combinado Sem-Vergonhice/Casos Omissos

(Neste jogo, o time do Sem Opção se ofereceu para reforçar a equipe do Vergonha na Cara)


Próximos jogos:
17/09/2013 (provavelmente) no campo do Senado

Quem paga a conta do lixo?

 
É justo e urgente pensar e agir sobre a destinação do lixo, mas igualmente, deve-se repensar e agir responsavelmente com relação à sua produção.
Sendo empresas - e não o povo - os fabricantes de produtos e usuários iniciais de embalagens que em algum momento irão ser descartados, porque a responsabilidade do descarte consciente é atribuída apenas ao cidadão comum, e destas empresas nada é cobrado?

22 de ago de 2013

"Isso em outros países é uma ofensa."


"Isso em outros países é uma ofensa."

(Edmilson Ávila, no RJTV 1 de hoje, 22/08/2013, sobre um sapato arremessado contra o Prof. Uóston, relator da CPI e membro da base governista, na primeira sessão da CPI dos ônibus do Rio. Aos 06:40 do vídeo)

Pelo contexto, obviamente, não se pode condenar o repórter pelo comentário, a não ser pelo fato de que o raciocínio dele, a meu ver, não foi dito completamente:
Faltou ele dizer que a Presidência da Câmara compor uma CPI em que 80% dos membros (inclusive presidente e relator) não assinaram o pedido para que ela ocorresse, deixando os demais que assinaram fora dela, também é uma grande ofensa às pessoas que sofrem há anos com a precariedade e a desordem dos transportes públicos da cidade, e igualmente uma ofensa ao processo democrático, uma ofensa à ética e uma ofensa aos (poucos) parlamentares deste país que trabalham realmente pelo bem do povo.

20 de ago de 2013

"Lixo Zero" x Lei municipal 758/1985 (Rio de Janeiro) x Tókio

Começou a aplicação das multas para quem jogar lixo nas ruas da cidade do Rio de Janeiro!

(Leia a notícia aqui.)

Baseado na Lei Municipal 3273, o programa prevê multas de R$ 157 a R$ 3.000.

Legal!

Agora só falta a prefeitura por em prática também a lei 758/1985, que pune também quem direta ou indiretamente distribui panfletos nas ruas, uma das maiores causas do lixo presente nas ruas da cidade:

"A publicidade através de panfletos, prospectos ou sacos plásticos ficará vinculada, obrigatoriamente, ao recolhimento, pela empresa, dos papéis e plásticos atirados à via pública. (...) abrange um raio de 200 (duzentos) metros, que terá como centro o ponto de distribuição."

Ou seja, a empresa que produz e distribui o potencial lixo é responsável pelo recolhimento do mesmo!

"(...) Fica proibida, sob qualquer hipótese, a afixação de faixas e galhardetes em postes ou em árvores."

(Arts. 36 a 39 da Lei Ordinária consolidada de Rio de Janeiro/RJ, nº 758/1985 de 14/11/1985)

"Além disso, são infrações puníveis, nos termos da presente lei (...) exibir publicidade com erro gramatical da língua portuguesa, (...) exibir publicidade sobre coluna, fachada ou parede cega de prédio, muro ou terreno, poste ou árvore de logradouro público, (...) através de desenhos ou escritos, cartazes e faixas ou galhardetes."

"Para os efeitos deste artigo, serão considerados infratores pessoas físicas ou jurídicas responsáveis diretamente pela publicidade, e terceiros, responsáveis pela exibição de publicidade, quando identificados."

"Compete em primeira instância aos Distritos de Fiscalização apurar a infração desta lei, lavrando-se os respectivos autos."

(Art. 54)

Essa identificação é bem simples: basta pegar um telefone de contato ou endereço que normalmente consta em tais propagandas irregulares.

"Não será permitida a exibição de publicidade, nos seguintes casos: quando prejudique, de qualquer forma, o direito de terceiros;(...) em gradis, muros, postes de rede elétrica e colunas; ao redor de árvores ou nelas fixadas; nas praias, em postes, viadutos e passarelas e respectivos acessos, no interior dos túneis e no cruzamento de rodovias; nas proximidades dos monumentos públicos e em parques e jardins..."

(Art. 57)
Ah, falta também:

1) Mudar o texto da propaganda em que a Fernanda Montenegro diz que "o Rio é a cidade mais linda do mundo, mas é a 9ª mais suja", e que "precisamos mudar isso". Vai ter gente entendendo que o objetivo é ser também a 1ª mais suja...

2) Mudar esse discurso de que Tokio, no Japão, tem menos lixeiras nas ruas, mas é mais limpa. A comparação é injusta, já que os japoneses, além de mais bem-educados, provavelmente tem hábitos de consumo, descarte e reaproveitamento de lixo muito melhor do que os brasileiros, e gestores públicos infinitamente mais comprometidos com as cidades e com o país do que nós.

15 de ago de 2013

Vinte e seis vereadores cariocas em cima do muro

Por onde andam...
Se 27 vereadores cariocas assinaram o pedido de "CPI dos ônibus", e 24 não assinaram, onde estão e o que fazem os demais 26 vereadores que assinaram o pedido?

O Eliomar Coelho está lá fazendo a parte dele...

Fonte e lista completa: http://rjalerta.com/ext/1605

"Eu sei o que vocês fizeram numa gestão passada."

A maioria (60%) ainda não sabe em quem votará. Em uma simulação com duas possibilidades de confrontos de candidaturas, os votos em branco ou nulo somaram 23% e 31%. Pesquisa do Datafolha, que revela intenções de voto para as eleições 2014 no Rio. Fonte: datafolha.folha.uol.com.br

E aqui, um perfil (com prós e contras!) dos pré-candidatos ao governo do Estado (RJ): acidblacknerd.wordpress.com

31 de jul de 2013

Governo pagará indenização a estudante esquecido em prisão... Mas quem o esqueceu lá, vai pagar quanto?

"Estudante 'abandonado' em prisão recebe indenização de US$ 4 milhões"

Funcionários governamentais erram, prejudicam pessoas, e quem paga as indenizações? O governo.
E de onde vem o dinheiro do governo?
De todo o povo, inclusive das vítimas e dos negligentes/inconsequentes.

Ou seja: aquele que erra, racha a conta dos prejuízos com todos os demais que não cometeram o erro.

Enquanto a responsabilidade devida e completa pelos erros "do governo" não for atribuída àqueles indivíduos que erram, nem eles e nem os demais precisarão tomar cuidado com os trabalhos que fazem.

Fonte: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/07/estudante-abandonado-em-prisao-recebe-indenizacao-de-us-4-mi.html

4 minutos de banho diário foram por água abaixo...

Grandes rompimentos de tubulações da CEDAE... Em dois dias, todos os esforços dos ambientalistas - como poupar água tomando banho por apenas 4 minutos diários -  foram por água abaixo.
Isso, sem falar em uma vida perdida e alguns outros prejuízos materiais.
Mas, não desanimemos: No dia em que gente realmente competente e comprometida com a sociedade estiver à frente da administração pública, estas coisas se tornarão muito menos frequentes.

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/07/avenida-vicente-de-carvalho-rio-e-liberada-apos-conserto-de-vazamento.html

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/07/obras-proximas-adutora-podem-ter-causado-rompimento-diz-policia.html

29 de jul de 2013

De manisfestações, protestos, Papa Pop e JMJ no Brasil

Vendo a cobertura da Jornada Mundial da Juventude 2013 na TV e acompanhando mais de perto - mesmo sem ser católico - as visitas, entrevistas e pronunciamentos do Papa Francisco, passei a admirá-lo e reconhecer-lhe a especial importância como líder religioso e, por que não, político, do Planeta.

Definitivamente Francisco, o Papa, não surgiu para ser apenas mais um dentre seus antecessores; seu poder de liderança,
carisma, jovialidade, disposição e, principalmente, simplicidade, o tornam um poderoso agente de mudança de comportamento social, mudança esta que todos desejamos, mas poucos de nós acreditamos (até então) fosse possível, diante de uma minoria de homens que dominam política e economicamente as nações na Terra, roubando do restante da população a esperança e a capacidade de reação pacífica por dias melhores.

Nesta cobertura, fiquei especialmente impressionado com a vista aérea da praia de Copacabana, neste domingo, 28/07/2013, no encerramento da JMJ: um "mar" de gente que, em seguindo tudo o que o Papa Francisco nos fez relembrar (sim, aprendemos antes com Jesus, além de seus seguidores e de outras importantes figuras que trouxeram não só mensagens mas, principalmente, exemplos) para viver uma vida pessoal e em sociedade melhor, já nos realimenta a esperança de dias melhores neste planeta, seja para nós mesmos, seja para nossos descendentes.

Não é possível, nem admissível, que a força e a voz de tanta gente reunida PACIFICAMENTE num só propósito - no caso, o bem - seja menor do que a força de uma minoria voltada e empenhada no mal, nas suas mais diferentes formas.

Botemos fé, amor, solidariedade e ação em nossas palavras e atitudes, e mudaremos o mundo para melhor, aqui, agora e além.

26 de jul de 2013

Antídoto para as vergonhas do Brasil

Não devemos ter vergonha de nossas mazelas sociais perante o mundo, já que são nossas, e são reais... Mas podemos e devemos ter vergonha destes políticos que fingem que legislam e governam nossas cidades, estados e país, e no dia em que esta vergonha se transformar em participação política consciente da maior parte da população, estas mazelas não mais terão vez em nossa sociedade.

2 de jul de 2013

Em casa onde falta o 'pão', todos brigam e ninguém tem razão.

Aprendi com o tempo que não importa qual partido esteja na situação ou na oposição, se um governo é de centro, de esquerda ou de direita, e quem são os parlamentares, quando um povo (o povão, principalmente) sofre por desconhecer as próprias mazelas sociais e as suas próprias possibilidades.

"Em casa onde falta o 'pão', todos brigam e ninguém tem razão."

Nas questões sociais comuns, fico com o lema dos Três Mosqueteiros: 
"Um por todos, todos por um."

Mas enquanto a maioria pensar que é "cada um por si" ou "gosto de levar vantagem, certo?", tudo ficará como está.

1 de jul de 2013

A convulsão Espanhola na final da Copa das Confederações 2013

Pensei que veria um jogaço: futebol pra mim só tem graça quando as duas equipes jogam (e numa partida decisiva, se empenham muito mais) para vencer...
A "seleção canarinho" fez a parte dela, e deve ser parabenizada por isso.
Já a "fúria", a poderosa Espanha dos toques de bola mágicos e precisos, de Piquet, Iniesta etc. ... o que teria acontecido com ela? Convulsão de algum jogador antes da partida?

A falta de vontade dos jogadores espanhóis para vencer o jogo foi indigesta...

E antes que alguém ache que eu suspeite de mala preta ou mala branca: não acredito nisso. Há várias outras formas mais inteligentes e vários possíveis motivos para se manipular o resultado de qualquer coisa, inclusive de um campeonato de futebol, e principalmente quando há interesses de governos, de empresas internacionais e/ou de entidades que gerenciam e promovem grandes e lucrativíssimos eventos mundiais.

Grande parte dos brasileiros que apreciam e acompanham futebol e não engoliu ou digeriu bem aquele desempenho pífio da seleção brasileira diante de uma burocrática seleção Francesa na final da Copa do mundo de 98, não percebeu (ou não quis perceber) que aconteceu o mesmo com a Espanha na final desta Copa das Confederações. A única diferença, além do adversário, é que o futebol DESTA seleção brasileira não pode ser considerado burocrático.

Se, por um lado, "fizemos" "nossa" parte, por que diabos a Espanha não fez a dela, deixando de proporcionar a quem gosta realmente de futebol um belo espetáculo?

Quem deseja ver seu time ou país vencer adversários que não oferecem resistência, não gosta realmente de futebol, gosta apenas da equipe pela qual torce e ou de vencer a qualquer custo.

14 de jun de 2013

A represa está rachada...

A represa está rachada; 
A pressão da água aumenta, e a rachadura também...

Ninguém havia se incomodado, até perceber a água gelada nas pernas.

Mas não há motivo para alarde: a água do reservatório certamente será aquecida, para a felicidade geral da nação.

...

Pergunto-me (ou seja, pergunte-se também): Por que somente agora algumas pessoas protestam contra os altos investimentos para Copa do Mundo e jogos Olímpicos? Os manifestantes que hoje protestam, poderiam ter ido às ruas durante as respectivas candidaturas do país para sediar estes eventos e protestar contra a realização deles. Quem sabe isso não teria economizado os bilhões de Reais gastos e, sob o mesmo protesto, talvez, este dinheiro pudesse ter sido destinado à Saúde e a Educação.

...

"...num regime de livre correr das águas, uma represa tem de ter uma distribuição igualitária de efluentes para evitar a tensão." (Extraído de: www.apmsjc.com.br/artigos/represa.htm)

4 de jun de 2013

"Enquanto a bola rola, falta saúde e falta escola."


Estou sozinho, ou alguém mais acha um exagero sem par este culto ao Neymar na mídia televisiva "global"?
Tá certo, o rapaz é talentoso, mas para valer tanto alvoroço ele ainda precisa mostrar MUITÍSSIMO serviço e comer muito feijão.
Enquanto isso, temos outras prioridades no país, mas boa parte da imprensa e grande parte do povo não enxergam. Ou não querem ver.

"Enquanto a bola rola, falta saúde e falta escola*."

(*) Na verdade, falta educação em casa e na escola.



13 de mai de 2013

Quem quer ser um MILHONÁRIO? (sic)

Recebi um spam com o seguinte Teor (as cores, no texto, são por minha conta):

Re: Agora ficou fácil ganhar na Mega-Sena

MAIS UM CLIENTE GANHOU R$ 35.000,00
NA MEGA-SENA!!!

Acesse nosso site e veja o BILHETE que fez nosso cliente ganhar mais de trinta e cinco mil reais acertando cinco número na MEGA-SENA.

Se você tem o sonho de ser milhonário acesse nosso site e saiba como funciona nosso programa que é 100% online!

Para maiores informações acesse...

Em primeiro lugar, eu não tenho o hábito de jogar, e não me interesso por receitas milagrosas como estas. Em segundo lugar, mesmo que que eu fizesse "uma fezinha" (eu disse não ter o hábito, o que me permite num belo dia qualquer resolver arriscar um joguinho), não recorreria a fórmulas do tipo.
Em terceiro lugar, R$ 35.000 não faz de ninguém um milionário: milionário, popularmente falando, é aquele que tem no mínimo um milhão (aqui, sim, com "lh"). Segundo a Wikipedia, "É considerado milionário a pessoa que possui ao menos a quantia de U$ 1 milhão em investimentos de capital (excetuando a sua principal residência)."
Finalizando, ainda que eu resolvesse dar atenção a uma mensagem destas para obter tal auxílio, esta aí já estaria descartada tanto pela incoerência (o cliente ganhou ou ganhou mais de? milionário com menos de um milhão?), quanto pela ortografia "equivocada". A mensagem com estes erros parece uma inocente pegadinha do Mallandro, mas pela diferença entre o endereço do link informado (não o reproduzo, por razões óbvias) e o endereço para o qual o link realmente remete, provavelmente é "apenas" uma armadilha para incautos caírem em algum golpe virtual. Não me espantaria nada que tal mensagem tenha sido originada na cela de algum presídio...

8 de mai de 2013

Publicidade: quando o tiro sai pela culatra.

As grandes corporações investem pesado em publicidade no afã de conquistarem novos clientes, mas pecam ao não dar a mesma atenção ao telemarketing, ao suporte, ao "sac", ao financeiro... Prometem no comercial da TV, mas não cumprem, exatamente, o combinado. Demoram nas respostas e, quando por fim dão retorno ao cliente, vêm com respostas prontas que não resolvem, só irritam mais ainda o consumidor, já à esta altura, insatisfeito.
Os publicitários aparecem como vilões, mas estão fazendo, em geral, um ótimo trabalho: atrair a atenção do consumidor e despertar o desejo e a ação de adquirir o produto/serviço oferecido. Cabe aos responsáveis pelo marketing e aos gestores/administradores de tais corporações a tarefa de manter, com planejamento, investimentos e ações efetivas, aqueles consumidores conquistados satisfeitos.

Em tempo: para quem não sabe, mas quer saber o significado de culatra, clique aqui.

2 de mai de 2013

Sobre oportunidades, desafios e resultados

A imensa maioria dos indivíduos tem a oportunidade diária de fazer algo de diferente em sua vida e pela vida dos que lhe cercam. O desafio destes indivíduos é fazer isso de uma foma positiva.
O esforço para fazer algo positivo é equivalente àquele empregado para uma ação negativa; o que difere um de outro são os resultados obtidos a longo prazo.

8 de abr de 2013

O Deputado e o Jardim Botânico

Uma coisa que me chama atenção é o fato de como um discurso, especialmente aquele "mal-dito", pode ser diferentemente interpretado; e geralmente, interpretado conforme o interesse daquele que o interpreta.

Uma postagem em rede social acusa um deputado federal de dizer que o Rio (de Janeiro) não precisa do Jardim Botânico (o parque, e não o bairro carioca). De acordo com a postagem, a crítica seria em função de possíveis alterações na área do parque, e pela remoção judicial das famílias que moram no local - 600, segundo o deputado - apenas porque seus familiares moram dentro daquela área.

Vendo e ouvindo o discurso sem pré-julgalmentos, não é exatamente assim. Na defesa daquelas famílias, ele compara o Jardim Botânico a qualquer outro parque da cidade, dando a entender que, na verdade, ele está preocupado e ocupado em defender apenas as "cerca de" 600 famílias que moram no local (dentre elas, a dele), não se importando com qualquer coisa que seja feito com o parque, ou seja: o Jardim Botânico PODE ser mantido, removido, destruído, aumentado ou reduzido, DESDE QUE não mexam com a moradia de sua famíla. Sim, existem outras famílias, mas se a dele não estivesse lá, será que estaria tão comprometido com a causa?

Não é ético nem aceitável que, tendo interesses pessoais em uma determinada causa, um parlamentar use a tribuna para defendê-la. No entanto, infelizmente, esta postura provavelmente seria adotada por qualquer outro político ou pessoa na posição dele (não esqueçamos que políticos são e representam pessoas) .

Independente de estar certo ou errado o deputado e da verdade que pode estar oculta em suas palavras (e está, já que ele não menciona sua família), a tal postagem pode ser interpretada, pelo menos, de duas formas. Ou foi uma opinião tendenciosa, ou uma falha de compreensão do discurso por parte do seu autor. O que estabelece a diferença é apenas a intenção com que foi escrita. E até a boa intenção, por vezes, pode ser desastrosa ao afetar o julgamento de um leitor menos atento. Eu mesmo, neste intante, posso estar sendo interpretado como não seria minha intenção. Quero dizer com isso que toda estória tem no mínimo duas versões sem que, necessariamente, uma delas seja a verdade "nua e crua", e que para se tirar conclusões - a SUA conclusão - é preciso conhecer estas versões. Criticar (e reproduzir críticas) sem ao menos conhecer estas versões é uma atitude inconsequente. Posso estar sendo inconsequente, por exemplo, ao reproduzir a  informação de que a família do deputado mora dentro do Jardim Botânico baseando-me apenas no que li na postagem original e na grande e confiável (até prova em contrário) imprensa.

Cada pessoa interpreta o discurso alheio conforme entende ou queira, desde que sua própria demanda seja atendida. Ocorre que em nossa sociedade contemporânea todos exigem respeito, ética e dignidade de todos, mas pouquíssimos cidadãos estão dispostos a agir conforme aquilo que desejam dos outros. Exigimos de políticos comportamento exemplar; políticos estes que vêm do povo ou que são por este mesmo povo, eleitos. Dois pesos, duas medidas... Hoje, com a comunicação cada vez mais imediata, o cuidado para não incorrermos em erro e para não induzirmos outras pessoas ao erro (o que é equivalente à IRRESPONSABILIDADE) deve ser redobrado. Não podemos sair acreditando rapidamente em tudo que lemos e vemos. E para julgar, precisamos ser, realmente, isentos: "Atire a primeira pedra..."

Vídeo do discurso

Notícia

6 de mar de 2013

Passo-a-passo para reclamar, na ANATEL, da sua operadora de telefonia móvel e fixa, Internet, e TV por assinatura


Reclamar pode não adiantar, mas é o que podemos e devemos fazer, se não quisermos deixar tudo como está.

Passo-a-passo para reclamar, na ANATEL, da sua operadora de telefonia móvel e fixa, Internet, e TV por assinatura:

Acesse o Suporte do Atendimento aos Usuários da ANATEL;
(se tiver problema com o Firefox, experimente abrir em outro navegador. Eu fiz e tudo correu bem. Alternativamente, pode usar este link e clicar em "Serviço de auto-atendimento".)

1) Identificação do usuário: (Se ainda não for cadastrado, clique no link do meio, na penúltima linha.). Cadastro feito, entre com cpf e senha;

2) Leia o termo de responsabilidade e clique em "concordo" para prosseguir;

3) No rodapé clique em "Cadastrar solicitação";

4) Leia o conteúdo que se segue; caso esteja tudo ok, ainda no rodapé clique em Avançar;

5) Escolha o "Tipo de Atendimento " (na setinha preta para baixo, clique e veja as opções);

6) Tipo de Atendimento:

7) Serviço:

8) Modalidade de Serviço:

9) Motivo:

10) Submotivo:

11) Categoria: ("avançar")

12) Dado Complementar: informar o Telefone com problema; ("Avançar")

13) Preencha CPF, Assinante, Reclamado (operadora), Descrição (o motivo da reclamação, protocolo da reclamação na operadora, a resposta dela etc.)

14) (Confirmar)

Para futuras consultas ou solicitações, o procedimento é o mesmo. Guarde sua senha!

4 de mar de 2013

Demolição da Perimetral: Gentileza pra que?

Um dos assuntos menos comentados na web é o que será feito das pilastras que contêm mensagens do profeta Gentileza, cujos trabalhos são, segundo o site portaldacidadania.blogspot.com.br ,"Patrimônio Ambiental da cidade". Todos falam sobre os ganhos e perdas diversos com a demoliçãodo viaduto, mas a maioria ignora não somente um dos ícones desta cidade mas, também e principalmente, o que ele representa: o convite a uma sociedade mais cordial, mais civilizada, mais... gentil!

A prefeitura carioca não sabe, exatamente, o que fazer com as colunas do viaduto onde estão as "tábuas" do Gentileza, conforme consta na matéria "Perimetral: pilastras com mensagens de Gentileza serão preservadas", publicada no jornal Extra. No restante da grande e "confiável" mídia - assim como no site da prefeitura - o assunto não é mencionado, ou não é feito com a exatidão devida. O que se tem de mais recente é exatamente esta matéria do Extra, datada de 05 de dezembro de 2011. De lá até hoje...

Mas o que é a gentileza - ou o Gentileza - para quem não consegue ver nada além de umas pilastras velhas pintadas por um "velho maluco" que atrapalham o caminho da ganância de um e a megalomania de outro?


Sobre o Gentileza:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Profeta_Gentileza