1 de jul de 2013

A convulsão Espanhola na final da Copa das Confederações 2013

Pensei que veria um jogaço: futebol pra mim só tem graça quando as duas equipes jogam (e numa partida decisiva, se empenham muito mais) para vencer...
A "seleção canarinho" fez a parte dela, e deve ser parabenizada por isso.
Já a "fúria", a poderosa Espanha dos toques de bola mágicos e precisos, de Piquet, Iniesta etc. ... o que teria acontecido com ela? Convulsão de algum jogador antes da partida?

A falta de vontade dos jogadores espanhóis para vencer o jogo foi indigesta...

E antes que alguém ache que eu suspeite de mala preta ou mala branca: não acredito nisso. Há várias outras formas mais inteligentes e vários possíveis motivos para se manipular o resultado de qualquer coisa, inclusive de um campeonato de futebol, e principalmente quando há interesses de governos, de empresas internacionais e/ou de entidades que gerenciam e promovem grandes e lucrativíssimos eventos mundiais.

Grande parte dos brasileiros que apreciam e acompanham futebol e não engoliu ou digeriu bem aquele desempenho pífio da seleção brasileira diante de uma burocrática seleção Francesa na final da Copa do mundo de 98, não percebeu (ou não quis perceber) que aconteceu o mesmo com a Espanha na final desta Copa das Confederações. A única diferença, além do adversário, é que o futebol DESTA seleção brasileira não pode ser considerado burocrático.

Se, por um lado, "fizemos" "nossa" parte, por que diabos a Espanha não fez a dela, deixando de proporcionar a quem gosta realmente de futebol um belo espetáculo?

Quem deseja ver seu time ou país vencer adversários que não oferecem resistência, não gosta realmente de futebol, gosta apenas da equipe pela qual torce e ou de vencer a qualquer custo.