29 de jan de 2013

Os Inconsequentes - A vida real

Parece nome de filme*, mas é uma história real. Uma não, várias. As tragédias não-naturais, de curto, médio ou longo prazo  se sucedem pelo mundo, mas especialmente no Brasil.
Os Inconsequentes são os indívíduos que, intencionalmente ou não, atuam ou deixam de atuar sem considerar a segurança e a vida do próximo, outro ser humano, outra pessoa como eles, que tem pais, filhos, irmãos,amigos... Mas eles, Os Inconsequentes,  pensam - quando pensam - que desastres não acontecem com eles, que seus atos não prejudicam ninguém... Que ACIDENTES acontecem. Eles só não conseguem refletir é no quanto podem estar contribuindo para que tais ACIDENTES ocorram. Quando se deixa de fazer algo, qualquer coisa, que poderia evitar uma tragédia, esta tragédia não pode ser considerada obra do acaso, uma fatalidade qualquer; ela teve um ou mais agentes que contribuíram para que ocorresse: um inconsequente, alguém incapaz, por algum motivo, de medir-lhe as consequências antes que ocorresse.

Os Inconsequentes sempre vão existir, assim como os variados resultados de suas desastradas ações. Mas se os instrumentos de punição para eles fossem menos brandos e demorados, provavelmente serviria de estímulo à PREVENÇÃO.

Os Inconsequentes podem estar em qualquer lugar. Os das grandes tragédias podem estar ocupando funções simples ou de grande notoriedade; podem ser fiscais, donos de boate, seguranças, pilotos de avião, controladores de vôos, ladrões de sistemas de alertas contra enchentes... Qualquer um de nós, caso não sejamos, podemos nos tornar um deles se desconsiderarmos a segurança e a vida próprias e a de outros seres humanos.


Encontrei essa música do Marcelo Adnet, que não tem nada de engraçada, e tem algo a ver com o que escrevi aqui: Inconsequentes

(*) Há um curtametragem com esse nome, mas acho que o papo é outro:  http://www.curtagora.com

22 de jan de 2013

Você e o pastor mais rico do Brasil

Segundo a revista Forbes, "Religião sempre foi um negócio lucrativo." 

Concordo, em parte: não vejo a religião como negócio (e conheço líderes ditos religiosos de ontem e hoje que também não), mas se ela for tratada como tal, pode ser realmente um negócio lucrativo, já que a humanidade clama pela salvação Divina e os oportunistas disso se aproveitam para enriquecer à custa da fé alheia.

"Para a revista, um dos motivos do crescimento de religiões evangélicas se dá graças à teologia da prosperidade, segundo a qual o progresso material é resultado dos favores de Deus. Enquanto o catolicismo ainda prega um olhar conservador sobre o além-vida, os evangélicos - sobretudo os neopentecostais - são ensinados a ter prosperidade nesta vida."

Não sou em quem diz, é a Forbes.

Não sou contra religião alguma que pregue o amor, a paz, a concórdia e o respeito ao próximo e à humanidade em geral. Entendo que mesmo estas religiões cujos líderes se aproveitam da fé alheia sejam importantes por darem uma razão para viver e um "norte" aos mais simples de seus frequentadores. Quantos suicídios e crimes de toda ordem já não foram, são ou serão evitados dessa forma? Então, ainda que dirigidas por líderes inescrupulosos, as instituições religiosas cumprem um importantíssimo papel social.

(Reportagem em português, clique aqui.)

20 de jan de 2013

Um mesmo índice para os reajustes dos salários dos parlamentares e o salário mínimo?!

Sim, isso é possível por meio de um Projeto de Lei de Iniciativa Popular (ou você acredita que os parlamentares tomariam esta iniciativa?).
E sim, um projeto destes pode ser aprovado e se tornar Lei, como aconteceu com o Ficha Limpa.

Se você sempre fica indignado com a enorme diferença de tratamento dada por nossos representantes políticos quando votam o aumento do salário mínimo e aumento do salário deles próprios, transforme sua indignação em ação ajudando a dar corpo ao Projeto de Emenda à Constituição (PEC) de iniciativa popular que exige um mesmo índice de reajuste para ambos os salários. Se, por um lado, não é possível baixar os salários dos políticos do país, por outro lado é possível deter os sempre abusivos e imorais aumentos, ao estabelecer um mesmo índice para os reajustes.
Exemplo: se o salário mínimo nacional aumentar 7% para um determinado ano, o salário dos parlamentares só poderá aumentar estes mesmos 7%, somados aos percentuais usados para o aumento do mínimo nos três anos anteriores (o salário dos parlamentares aumenta a cada legislatura - ou período de quatro anos, enquanto o mínimo aumenta anualmente).

Se você quer saber mais sobre a Iniciativa Popular e como ela funciona no Brasil, clique aqui.

Se quiser participar do abaixo-assinado "Por um mesmo índice de reajuste para salários de parlamentares e salário mínimo" e fazer com que este projeto chegue, um dia, ao Congresso Federal para votação, clique aqui.
Lembramos que se este PEC chegar ao Congresso, a pressão da sociedade pela sua aprovação será um novo e fundamental desafio...

Divulgue para seus amigos! Afinal, como dizem, "o povo unido jamais será vencido"...

4 de jan de 2013

"Genoinamente..."

É imoral, mas legítima, a posse de José Genoino na Câmara, mesmo condenado pelo STF. As leis que permitiram esta incoerência foram elaboradas e aprovadas pelos próprios parlamentares que, por sua vez, foram eleitos pelo povo. Então o "povo" que votou em candidatos que criaram ou votaram a favor destas leis não tem o direito de reclamar.
Mas é importante lembrar que as leis podem ser mudadas, assim como o voto...

3 de jan de 2013

Prefeitos que deixam seus municípios sob o lixo não me impressionam.

Prestes a deixar o mandato, prefeito de uma grande cidade deixa a população sem coleta de lixo, sem alternativas e sem prazos para regularização do serviço.

A cidade é uma das maiores do Rio de Janeiro, e o problema é a coleta de lixo; mas poderia ser qualquer outra cidade brasileira, ou outro problema. Políticos assim existem aos montes.

Mas não me impressiona o fato de que a empresa responsável pela coleta já ter sido envolvida em outro escândalo, na capital (e continuar operando com outro nome); agora, inclusive, no novo escândalo, muda novamente de nome.
Não me impressiona esta empresa alegar não estar recebendo pagamento pelo serviço, e a prefeitura alegar o contrário, sem apresentar quaisquer alternativas.
Não me impressiona o abandono e o desrespeito à população.
Também não me impressiona a ausência de punições para os envolvidos.

O que me impressiona é que políticos como esses em pouco tempo estarão concorrendo novamente a qualquer cargo público e, pior, sendo eleitos pelo mesmos eleitores que eles relegaram ao abandono.
Isso é realmente, impressionante.

E por falar em punições para os envolvidos: se considerarmos que uma escolha equivocada tem sempre consequências ruins, e que aquele que faz a escolha sofre-lhe as consequências, então o eleitor de um prefeito como esse só está recebendo a punição que lhe cabe.
O problema é que aqueles que não votaram nele também estão sendo punidos...

2 de jan de 2013

Aparecida de Goiânia bombando na Mega Sena...

11/01/2007 - "Segundo maior prêmio da Mega-Sena sai para aposta de Goiás.
A aposta que levou o prêmio da Mega Sena acumulada foi feita no bairro Ilda, em Aparecida de Goiânia (GO), de acordo com informações da Caixa Econômica"
(http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL496-5598,00.html)

31/12/2012 - "Três apostas vencem Mega da Virada.
(...) Apostadores são das cidade de Franca, São Paulo e Aparecida de Goiânia.
(http://g1.globo.com/ultimas-noticias/noticia/2012/12/tres-apostas-vencem-mega-da-virada.html)

...

Há rumores de que um usuário do Orkut havia afirmado em 15/12/2012, com fonte segura, que o prêmio sairia para lá.

...

Tem muita gente que, publicamente, disse que ganhou, e/ou quem tem sorte nestes jogos. Mas destes, quantos levam o prêmio maior, acertaram as 6 dezenas?

Num país em que o povo diz "Me engana, que eu gosto!", os que enganam acreditam mesmo nisso, e levam muito a sério.

Ou será que este é apenas um exemplo de raio que cai mais de uma vez no mesmo lugar?