29 de jul de 2014

Sobre o Espiritismo, a Casa "Espírita" TESLOO e Rodrigo Bethlem, e a imprensa

A única forma de reduzir preconceitos e prevenir ações de indivíduos e grupos extremistas é disponibilizar informação. Detendo a informação, cada um poderá pensar/agir conforme sua própria consciência e, obviamente, arcar com as consequências.

Mais uma vez o Espiritismo está vinculado de forma negativa nas manchetes dos jornais, mas a imprensa não está equivocada, já que a palavra 'espírita' (termo derivado de "espiritismo", um neologismo criado por Allan Kardec, e diferente de "espiritualismo") compõe o nome da instituição.

"Testamento Esotérico Superior Legado Ortodoxo Oriental"é a sigla da Casa Espírita TESLOO, alvo de denúncias que novamente vêm à tona, agora envolvendo o deputado federal e ex-secretário municipal do Rio, Rodrigo Bethlem. (Saiba mais.)

A sigla da instituição por si só, já a distancia da Doutrina Espírita (http://pt.wikipedia.org/wiki/Espiritismo). Além disso, é preciso entender que, se uma instituição genuinamente espírita  deve estar de acordo com as normas de alguma entidade representativa das instituições espíritas (por exemplo, o Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro), esta TESLOO usa - ou usava - o nome "Casa Espírita" não só inadequada como também indevidamente, embora, creio eu, nossas Leis não proíbam isso.

Mesmo sabendo que as instituições são dirigidas por seres humanos, e que estes são falíveis, a TESLOO, ainda que adotando 'espírita' no nome/razão social, não é e nem nunca foi, de fato, uma instituição espírita".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Concordando ou não com ele, provavelmente nos será útil, de alguma forma.