12 de fev de 2010

Braga - a Ana, e os seus babacas

Costumo tomar meu café da manhã acompanhando algum telejornal para saber notícias locais, antes de minhas atividades do dia.
Como sou um "zapeador" "invertebrado", com tantos comerciais e assuntos que não considero importantes, posso me deparar com alguma coisa boa - a Luiza Brunet, por exemplo, no programa de Braga, a Ana Maria - mas também posso ter minha audição covardemente agredida: No mesmo programa, a apresentadora quadruplicou o nome de um convidado, Fernando Torquato, chamando-o de torQUATRO. Isso por que o cara é famoso no meio artístico.
E, para piorar, referiu-se em tom crítico à sua audiência masculina (dentre a qual me incluí, já que estava assistindo) como "seus babacas" justificando o trabalho que dá para uma mulher (no caso, a Luiza) ficar bonita (o tema era maquiagem) e que os homens não reparam, nem elogiam.

Não me incluí entre os, segundo ela, "babacas", mas acho que faltou respeito para com os tais homens que "assistem ao programa antes de sair para o trabalho", como ela mesmo disse. Ter opinião é uma coisa; ofender gratuitamente alguém com opinião diferente da nossa, é outra coisa.

A minha opinião, por exemplo, com relação à sua gafe anterior, é: Se ela tem dificuldade para pronunciar algumas palavras, precisa da ajuda de um fonoaudiólogo; se foi apenas um escorregão verbal, poderia ter mais atenção, já que faz isso com certa frequência.
Mas, se eu quisesse ofendê-la, a chamaria aqui de mulher burra, mas não acredito que ela seja.

Quer saber? Deixa para lá: Ela é famosa, carismática, jornalista das antigas, tem um salário invejável... Vai ligar pros críticos de plantão?!

O pior ignorante é aquele que não quer aprender.

Um comentário:

  1. Não à toa, eu a chamo de Ana Maria Praga... De burra nada tem. Perfil ideal para aquela velha fórmula "café-da-manhã" e informação. Reparou que sem o Louro José a coisa piora? Melhoras pra ele, que sobreviveu ao acidente...

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário. Concordando ou não com ele, provavelmente nos será útil, de alguma forma.