12 de abr de 2010

O justo, o perigoso, a liberdade e a pimenta

A justiça novamente concede a liberdade a um indivíduo que representa perigo para a sociedade. Ele sai da cadeia e comete novas e mais graves atrocidades. Não foi a primeira vez, e infelizmente, não terá sido a última: isso tem se repetido com alguma frequência.

Talvez haja alguma mudança se - e quando - um ente querido desses impolutos magistrados vier a se tornar vítima direta do malfeitor.

Pimenta no * dos outro é refresco, já diziam os mais antigos.

Nota: Não falo do (ex) governador do DF, mas ele pode ser incluído no rol dos perigosos. No entanto, dificilmente Arruda atingirá alguém vinculado a justiça, já que parecem "alimentar-se no mesmo recipiente".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Concordando ou não com ele, provavelmente nos será útil, de alguma forma.