25 de ago de 2010

Eles só pensam naquilo...

As mesmas caras (tá, algumas são inéditas), as mesmas falas, todos querendo a mesma coisa da gente: abusar da nossa confiança e se dar bem às nossas custas.

Uma vaga de assessor pra quem adivinhar de quem estou falando.


Atualização em 27/08/10:

Senhores candidatos, esperamos muito mais de vocês. Muito mais do que vocês prometem. Esperamos hospitais públicos, postos de saúde, UPAs etc. com médicos e equipes capacitados e comprometidos com o respeito ao ser humano e à vida; esperamos estabelecimentos públicas de ensino com diretores, professores e equipes prontas e dispostas a dar o melhor de si pelos alunos, resgatando a dignidade do homem através da instrução, e da educação que cabe à escola oferecer; esperamos incentivo à produção de bens e serviços, que gerem trabalho e renda de verdade para a população, e não esta esmola do subemprego e da informalidade; esperamos que, com esta recuperação econômica e de auto-estima do cidadão, o acesso à habitação de qualidade não seja tão penoso - ou mesmo impossível; esperamos o combate efetivo a corrupção e à criminalidade; esperamos um salto tecnológico nos serviços públicos essenciais já relacionados. Esperamos que vocês justifiquem suas funções, cargos, salários e benefícios dando-nos (inclusive a vocês mesmos e suas famílias) em troca um trabalho sério e ético. Dinheiro para pagar por tudo isso nós, juntos, temos; mas é preciso que, desta vez e doravante, vocês pensem mais em nós e menos em vocês mesmos (cada um por si): assim, será o suficiente. Assim teremos o que esperamos de vocês. Mas, se a tentação for muito grande, roubem um pouquinho, mas FAÇAM o que esperamos de vocês.

2 comentários:

  1. Por sinal, Edu, tem um abaixo-assinado rolando na Internet de um projeto do Cristóvão Buarque, de todo eleito em cargo público ser obrigado a colocar os filhos em escola pública. Não estou com o link aqui, mas não deve ser difícil de achar.

    Mas não era nem isso que eu ia dizer. Era que botei no Sobre a Canção um post seu sobre música, que você tinha me indicado. Devo partir de alguma idéia dele para escrever o próximo, por esses dias, comentando ou desenvolvendo. Abração.

    ResponderExcluir
  2. Túlio, não sei se o camainho passa por uma obrigação destas... Acho que fere o direito de escolha dos pais; o ideal é que, investidos os recursos públicos suficientes num ensino público de qualidade, tanto estas pais eleitos como os pais não eleitos pudessem fazer esta escolha com base em qualquer outra coisa que não fosse a qualidade do ensino. Até uns 40 anos atrás, o Colégio Pedro II, por exemplo, era disputadíssimo por alunos das redes pública e privada, de igual para igual; passavam os estudantes mais aplicados e determinados.
    (isso já é quase outro post...)

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário. Concordando ou não com ele, provavelmente nos será útil, de alguma forma.