16 de dez de 2010

2011: O ano em que perderemos (mais) contato: Aumenta o salário dos parlamentares, a partir de 62%.


Câmara e senado aprovam aumento do salário de parlamentares em 61,83%.
(Ao que parece, o dia do palhaço ainda está sendo comemorado por eles...)
E eu continuo não achando graça.

Deputados Federais e Senadores aprovaram em regime de urgência o reajuste de seus próprios salários, o do presidente da República e de seu vice, e os dos ministros de Estado, a saber:

 Deputados Federais e Senadores: 61,83%
Presidente da República: 133,96%
Vice-presidente  e ministros de Estado: 148,63%

O PSol foi o único partido que tentou impedir a aprovação, e nas palavras do seu deputado Chico Alencar, "Essa decisão aprofunda o abismo entre a sociedade e o parlamento. É uma demasia.
Do PSB, a deputada Luiza Erundina (SP) discursou contra a aprovação do projeto, questionando a falta de discussão sobre a proposta de reajuste e de não haver a transparência necessária para a sua aprovação, já que o projeto foi apresentado pela Mesa Diretora da Casa no momento da sessão. Outros deputados se manifestaram contra, como Fernando Gabeira (PV-RJ), Ivan Valente (PSOL-SP) e Marcelo Itagiba (PSDB-RJ).
No Senado, apenas a senadora Marina Silva (PV-AC) e o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) se manifestaram contra a proposta. Segundo Marina, é injusto que os parlamentares recebam reajustes muitas vezes superiores aos dos demais servidores públicos do País.

Segundo os parlamentares e a imprensa, o último reajuste deles foi em 2007 (28,5%), repondo uma inflação acumulada de quatro anos.
De fevereiro de 2007 a novembro de 2010, o IPCA, índice oficial de inflação, foi de 20,9%. Bem inferior aos quase 62% de agora.

Cabe lembrar ou relembrar que deputados e os senadores recebem 15 (quinze!) salários por ano, e que o aumento salarial provocará um efeito cascata nas Assembléias Legislativas dos Estados e nas Câmaras Municipais. Além disso, seus vencimentos têm como parâmetro os salários Ministros do STF, que já pleiteiam 14,8% para 2011 (o que elevaria seus salários para R$ 30 mil), provocando novo aumento cascata nos salários da Justiça e de outras categorias do serviço público.

Obviamente, quando se têm a oportunidade de aumentar os próprios salários, fica difícil lembrar que estes salários são pagos pelo povo,e que isso direta ou indiretamente inviabiliza a vida de quem não é parlamentar, ou não se enquadra em nenhuma das categorias de reajustes mencionadas acima. Não somente inviabiliza a vida econômica, mas toda ela, já que no final das contas, falta saúde, falta educação, falta saneamento, falta habitação...  Tudo isso por falta de ética, falata de bom senso, falta de compromisso com o povo,  falta de humanidade, falta de vergonha na cara.

O Brasil precisa ser viável para todos, já que todos dependem uns dos esforços dos outros, e se este padrão de comportamento dos que "comandam" a nação não mudar,  quebraremos (nós e nossos descendentes) todos juntos. O que está ocorrendo gradativamente pode ser comparado a um comandante de um navio que, do alto da torre de comando, em alto mar, resolve mandar a tripulação fazer buracos no casco da embarcação, sem prever as consequências.

Se o salário mínimo nacional acompanhasse o reajuste dos parlamentares – e por que não? – estaria valendo em 2011, aproximadamente, de R$ 615,00 a R$ 945,00.

Isto mesmo: salário mínimo nacional de R$ 615,00 a R$ 945,00. Nem os R$ 510,00 atuais, nem os R$ 560,00 propostos para 2011 pelo governo, nem os R$ 600,00 prometidos na campanha do candidato derrotado à presidência .

Sonho com um dia em que haverá em nossa Constituição um item (um "remendo constitucional") estabelecendo o mesmo percentual de aumento para ministros do supremo, para parlamentares e para o povo, se necessário, com votação por plebiscito. Meu único temor é que aqueles que preferem tudo da forma como está, não se importarem se o país quebrar de vez.

Finalizando, manifesto minha plena satisfação com os parlamentares que escolhi nas últimas eleições, e que realmente fazem jus aos meus votos.


Fontes:
http://www.estadao.com.br
http://www.portalbrasil.net
http://br.noticias.yahoo.com
http://www.uai.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Concordando ou não com ele, provavelmente nos será útil, de alguma forma.