23 de dez de 2010

"Como é que Papai Noel não se esquece de ninguém?" Um Feliz Natal pra você!

"Como é que Papai Noel não se esquece de ninguém?", diz a canção natalina.
Esquece sim. E ainda por cima é elitista: não adianta você se comportar exemplarmente, se seus pais não forem abastados ou se você tiver nascido numa periferia qualquer. Sem ganhar modernos, tecnológicos e coloridos brinquedos, você  tem que se virar para brincar. Pelo menos, pode desenvolver sua criatividade...

Agora, deixando a ironia de lado, digo que gosto do Natal, sim. Já tive uma longa fase de melancolia nesta época, e nem sei bem porque. Talvez por discordar do consumismo desenfreado que entorpece os verdadeiros sentimentos e emoções, que deveriam estar presentes nestes festejos. Os indivíduos, preocupados com suas compras, com seus horários, com seus afazeres, com o calor, com a chuva, com o trânsito, com seu umbigo, esquecem-se  - como o fazem durante todo o ano, na maior parte dos casos - de que ao seu lado há outras pessoas de carne, osso e sentimentos, como os seus. A disputa por espaços, tempo e objetos passa a ser mais importante do que as mais simples frases básicas da boa convivência  ("Por favor", "Com licença" e "Obrigado"). Hoje mesmo, vi na rua um cara que desceu do carro para discutir com o motorista de um ônibus, fechando o trânsito movimentadíssimo.E para que tudo isso? Para comemorar um "tempo de paz e união entre os povos". Mas se o objetivo é esse, porque fazer justamente o contrário? (Acho que descobri a origem daquela minha melancolia...)

Se não posso mudar o mundo, mudo eu: hoje curto bastante os festejos de fim de ano, mais ainda porque aprendi a  valorizar o que realmente interessa nesta vida: nossos afetos. A ausência física de alguns deles, temporária ou definitiva, não é impedimento: sei que aqueles que me amam e torcem por mim continuam a fazê-lo, deste ou de outro plano.
Aproveito também as coisas de material que tenho, minha saúde e as oportunidades que tenho para estar junto com a família e com os amigos nestes dias de festa, e nos outros dias do ano, curtindo aquilo que é realmente essencial (invisível aos olhos).
Desejo que VOCÊ entenda e também possa aproveitar isso, neste Natal e em todo o Ano Novo! Só assim se pode ser feliz, mesmo que todos ao seu redor estejam trabalhando contra. Eles ainda não aprenderam a amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Concordando ou não com ele, provavelmente nos será útil, de alguma forma.