4 de jan de 2014

Falta de luz e de água no verão? Ah, deixa pra lá... A gente espera uma solução, um dia.

Deixa pra lá...

Falta d'agua, falta de luz, precariedade nos transportes, no trânsito, nos serviços para turistas, nos serviços de telecomunicações, nas operadoras de planos de saúde, nas unidade públicas de saúde, na Educação, na gestão pública em geral...

Deixa pra lá... Ou, pelo menos, pra depois.

Isso é o que se passa na cabeça da maior parte dos brasileiros. Os problemas se repetem, mas o povo não reclama a quem tem de reclamar e da forma como tem de reclamar. Quando as coisas se agravam muito, e assim mesmo, dependendo dos problemas, é que vão para as ruas promovendo badernas, queimam veículos, destroem o patrimônio próprio (público) ou alheio (particular). Estes extremos não seriam necessários se não deixássemos tanto "pra lá".

Reclamar só não adianta quando a reclamação não chega a quem pode e deve resolver, e se apenas um indivíduo se encarrega de reclamar para todos. Reclamar, por exemplo, dos problemas que citei acima com seu colega da mesa ao lado, com seu vizinho, com o companheiro de viagem ou de fila no banco ou supermercado, realmente não resolverá absolutamente nada.
Mas se cada pessoa indignada direcionar sua reclamação àqueles que tem competência (ou deveriam ter) para resolver tais problemas, isso pode até não resolver, mas vai incomodá-los o suficiente a ponto de tomarem alguma atitude. E o que está realmente faltando é ATITUDE: Tanto dos que têm o poder e as condições de resolver, quanto dos que podem pressionar estes para resolver os problemas.

Vamos lá, assuma sua responsabilidade se você quer que as coisas melhorem realmente.
Mexa-se, telefone, escreva um e-mail, uma carta, qualquer coisa pacífica que mostre sua insatisfação, mas  FAÇA ALGO.
Se não sabe onde ou como, PROCURE SABER: dá trabalho, sabemos disso, mas não se resolve problemas particulares ou gerais sem algum esforço, pessoal ou coletivo, respectivamente.
É o mínimo a fazer para que seus direitos sejam respeitados.

Deixar pra lá ou deixar para depois é ajudar na perpetuação dos problemas e, pior ainda, dar margem ao agravamento deles. Exatamente por isso aqueles serviços que citei lá no início do texto nos parecem piores do que eram há algum tempo atrás. Será que pioraram porque que cansamos de cobrar eficiência, ou, na verdade, apenas temos mantido nossa atitude passiva ao longo dos anos?

Agir do mesmo modo, sempre, não vai mudar nada. Se você deseja algo melhor, se não quer ficar sem água ou energia elétrica quando mais precisa, se quer mais respeito das empresas privadas ou dos governantes, respeite-se, e exija. Esperar que alguém faça isso por você é deixar que alguém decida por seu bem estar agora e depois.

E depois, não adianta reclamar.

Tudo isso, às vezes tudo é fútil,
Ficar ébrio atrás de diversão.
Nada disso, às vezes nada importa,
Ficar sóbrio não é solução.

Titãs, trecho da música "Diversão"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Concordando ou não com ele, provavelmente nos será útil, de alguma forma.