14 de jun de 2010

Pra não dizer que não falei da Copa... Parte 2: A bola é ruim, mesmo?


Alguns jogadores andaram criticando a tal de Jabulani, a bola oficial criada para esta Copa, e fiquei pensando nos meus tempos de boleiro, onde bastava que a pelota fosse redonda, cheia e suficientemente pesada; normalmente, uma boa Dente-de-Leite bastava; botar a culpa na bola era desculpa de quem não tinha habilidade, como eu (mas eu não criticava a bola!).
Já no futebol profissional é diferente, claro: algumas regras devem ser seguidas, inclusive com relação à redondinha. Um campeonato mundial de futebol deve manter uma padronização da bola, e a FIFA estabelece este padrão. A pergunta é inevitável:

Por que as reclamações, se as bolas são fabricadas por empresas esportivas tradicionais e que detêm tecnologia suficiente para produzir o que há de melhor? Pelo que me lembro, as bolas das Copas anteriores também foram criticadas... será "choro" antecipado frente a uma possível má atuação dos jogadores?

Vou responder depois desta comparação entre o que determina a FIFA e o que é feito pelo atual fabricante (não me arrisquei a traduzir do espanhol, mas acho que nem é necessário):


A tabela comparativa mostra que a Jabulani, além de estar dentro das normas oficiais, mostra-se superior em alguns itens.

A resposta às perguntas acima parecem estar apenas na rivalidade comercial e no marketing agressivo promovido pelas empresas concorrentes. Os jogadores que consideraram a Jabulani como "muito ruim" ou "bola de mercado" são patrocinados por uma outra poderosa empresa esportiva concorrente daquela que fabricou a bola deste e do mundial anterior. A única dúvida seria se eles a criticaram somente por fidelidade aos seus patrocinadores, ou se receberam algum incentivo a mais para fazê-lo...

Cuidado com seu ídolo: ele pode estar manipulando você, e ganhando para isso. Então, quando for comprar uma bola para sua peladinha de fim-de-semana, ou para seu filho brincar, lembre-se que a jabulani é uma bola tão boa quanto as outras de marcas conceituadas.

4 comentários:

  1. Edu, honestamente, tenho a impressão de que há mais coisas entre o pé do jogador e o gol do que sonha a vã tecnologia. Vi os primeiros jogos da Copa, e a bola é meio imprevisível mesmo, ela muda a direção do quique. A aferição da FIFA sem dúvida é boa, mas tem um componente de imponderável no esporte, e é muita coincidência tantos jogadores terem reclamado. Para mim a questão é outra: mesmo que todos reclamassem, não iam trocar a bola, porque hoje a estrela não são eles, mas os contratos milionários. Meu espanto é que alguns tenham tido coragem de falar mal da bola feita pela mesma empresa que faz seus uniformes...

    ResponderExcluir
  2. Túlio, em primeiro lugar, obrigado pelo comentário.
    Em segundo, pode haver falha na aferição das bolas, sim, e realmente fazer um recall "nesta altura do campeonato" seria improvável. Sem fugir do assunto, mas comparando: desconfio da veracidade da informação dos produtos "light" ou "zero trans" que consumimos. Quem garante?
    Voltando à bola: mesmo que ela seja ruim (como o poderia ser o gramado), isso vai afetar a todos os jogadores, de todas as equipes, do mesmo modo; não serve de desculpa para a falha ou a derrota de ninguém.
    Quanto aos contratos milionários no futebol, eu não me espanto com nada. Quando a França venceu a final de 1998 (comparo a uma vitória por W.O.), surgiram boatos de uma "teoria da conspiração" que explicava a apatia de nosso elenco: em linhas gerais, A CBF teria trocado a vitória pelo título de 2002 e para sediar 2014 (um preço político razoável). Boato ou profecia, até aqui os resultados tem sido comprovados...

    Mais do "boato": http://blog.planetagol.com.br/2006/07/02/minha-teoria-da-conspiracao-sobre-o-selecao-brasileira-cbf-e-a-fifa/

    Mais da bola: http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/06/17/jabulani-nao-sabe-caminho-do-gol-300769.asp

    ResponderExcluir
  3. Hah, a final da copa vai ser entre Nike e Adidas...

    ResponderExcluir
  4. Quem reclamou da bola tem contrato com a empresa concorrente dela.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário. Concordando ou não com ele, provavelmente nos será útil, de alguma forma.