29 de jan de 2011

Campanha "Aumento dos Parlamentares para ajuda à Região Serrana do Rio, já!".

Aumento dos Parlamentares para ajuda à Região Serrana do Rio, já!

Campanha que visa sensibilizar os parlamentares brasileiros para abrir mão de parte de seus reajustes de 2011 no sentido de ajudar a região Serrana do Rio de Janeiro.

Justificativa
A sociedade brasileira se uniu em prol das vítimas da tragédia da Região Serrana do Rio de Janeiro.
A classe política, no entanto, exceto ações isoladas do Governo Federal (que prometeu a contrução de 6 mil casas populares para os desbrigados) e dos governos estadual e municipais (com doação e desapropriação de áreas para as construções), exime-se de sua parte de responsabilidade individual e coletiva tanto nas causas quanto na prevenção de tais tragédias, e muito menos acena com quaisquer ações solidárias necessárias à recuperação de instituições e população atingidas.
Sacrifícios são necessários para esta recuperação, e boa parte da população brasileira vem doando tudo o que possa ser útil, inclusive a voluntariosa e valiosíssima presença, para os desabrigados e desalojados.
Fica aqui o convite para que Vossas Excelências também sejam solidárias e dêem sua cota sacrifício, lembrando àqueles que não representam nosso estado, que os flagelos naturais e suas consequências atingem - ou podem atingir - qualquer parte do país, sendo, portanto, um problema de todos.

De que forma ajudar
O salário mínimo do país teve um reajuste de, aproximadamente, 6,87% em relação à 2010, um pouco acima dos 6,47% apontados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), utilizado para o cálculo do salário mínimo.
Este mesmo índice não é o aplicado ao salário de nossos parlamentares; mas se fosse, e considerando-se que eles não tiveram seus salários reajustados desde 2007, seria justo que este reajuste fosse equivalente a soma dos percentuais de reajuste aplicados no período 2007 a 2010, o que daria algo em torno de 37,81% de reajuste, em vez dos 61,8% de aumento concedidos por eles mesmos. A proposta é exatamente esta: que os parlamentares abram mão dos quase 62% em troca de 37,81%, como 'todo' brasileiro.

Por quanto tempo
Para que nossos representantes em Brasília não tenham prejuízo em seus cofres, isto valeria apenas para este ano de 2011, ao final do qual poderiam rever seus reajustes para o próximo período de mandato (2012-2014).

Quanto
Montante das doações R$ 36.827.116,30* (trinta e seis milhões, oitocentos e vinte e sete mil, cento e dezesseis Reais e trinta centavos)(ver tabelas abaixo), o que dá para tirar muita gente de áreas de risco, não somente desta região, já que lá a construção de 8 mil casas populares (2 mil prometidas pela iniciativa privada) estão garantidas. É possível também, com este dinheiro, mobiliar as casas dos desabrigados (quem perdeu a casa, perdeu seus móveis e utensilios também), alimentar e prestar atendimento médico às vítimas não fatais sem depender somente de voluntários, por escolas para funcionar... Como diria o candidato derrotado à presidência em 2010, "dá para fazer" bastante coisa.
Se ninguém resolver desviar a verba ou os produtos desta...

Os parlamentares estaduais e municipais, cujos rendimentos não fazem parte dos cálculos aqui expostos, também estão convidados a fazer parte desta corrente de solidariedade, bem como os Ministros do Supremo.

Está lançada a campanha!



(*) Entraram nestes cálculos somente os que estão na ativa.

 Fontes: O Globo (Economia), R7 (Economia), ainflacao.com, sidneyrezende.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Concordando ou não com ele, provavelmente nos será útil, de alguma forma.