23 de set de 2008

Fidelidade partidária

Fico me perguntando sobre a importância da fidelidade partidária. Teoricamente, um filiado à um determinado partido político deve estar investido das diretrizes e da ideologia política deste partido. Baseados nisso, muitos eleitores tomam suas decisões, ou seja, votam nos candidatos do partido com que mais se identificam. Porém...

Tenho observado placas de candidatos que omitem um minimizam a sigla dos partidos pelos quais concorrem às eleições. Possíveis motivos:

1) O nome do partido é mais “fraco” que o nome de seu candidato (um produto é mais vendável que outro);

2) O candidato não quer vincular seu nome ao partido (tendo mais liberdade para sair para outro(s) partido(s), posteriormente.);

3) O partido não acredita muito no seu próprio candidato (não quer, também, vinculação dos nomes).

Em todos estes casos, fica claro a falta de importância da ideologia, da falta de compromisso com aquilo em que se acredita e que possa acrescentar algo à sociedade.

Alguns candidatos e defensores de candidatos prendem-se à ideologia de seus partidos, dentre eles o PT. Sim, o PT tem seus valores, mas não podemos esquecer que muitos de seus ex-membros, fidelíssimos ao partido, tiveram seus nomes envolvidos em escândalos: ou a ideologia do partido era muito discutível, ou seus excluídos afiliados não eram tão fiéis assim.

A meu ver, o que menos importa é a tal fidelidade partidária do candidato ou parlamentar, ou a ideologia do seu partido. As ações individuais em prol do coletivo é que determinam quem é joio e quem é trigo.

Um comentário:

  1. Tempos bicudos em que campanhas publicitárias transformam "joios" em "jóias", sem perdão para o trocadilho infame... mas, como não sou candidato, minha imagem permanece o arranhão de sempre.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário. Concordando ou não com ele, provavelmente nos será útil, de alguma forma.